Oxigênio | companhia brasileira de teatro
Patrocínio

Oxigênio

Ficha técnica | Trajetória  | Prêmios | Fotos | Vídeos | Produção

Uma fábula sobre um crime passional: dois jovens, a Sacha e o Sacha, se conhecem, tem um amor louco, ele volta pra casa e mata violentamente a própria mulher. Esta pequena história serve de pretexto para fazer emergir temas diversos do nosso tempo e discutir, numa linguagem singular e potente, o que é essencial para cada um de nós. Adaptação do texto inédito do autor russo contemporâneo Ivan Viripaev.

 

“Em cada homem há dois que dançam: o direito e o esquerdo. Um dançarino – o direito, o outro – o esquerdo. Dois dançarinos de ar. Dois pulmões. O pulmão direito e o esquerdo. Em cada homem há dois que dançam – o pulmão direito e o esquerdo. Os pulmões dançam e o homem recebe o oxigênio. Se você pegar uma pá e bater no peito de um homem na altura dos pulmões, as danças param. Os pulmões não dançam mais, o oxigênio não chega.”
 

Ivan Viripaev nasceu em Irkutsk (Sibéria) em 1974, é autor, ator e diretor de teatro. Em 1995, terminou seus estudos na Escola de Teatro de Irkutsk. Até 1998 ele trabalhou como ator no Teatro Dramático de Magadan (Sibéria), em seguida no Teatro do Drama e da Comédia em Petropavlovsk na região de Kamtchatka (extremo oriente russo) onde ele conhece o diretor Viktor Ryjakov.

Obrigado a deixar sua cidade natal por causa de pressões de algumas entidades teatrais locais, ele se muda para Moscou em 2001 onde funda o Centro da Peça Nova e Social Teatr.doc. Em outubro de 2003 atua na montagem de seu texto kislorod (Oxigênio), dirigida por Viktor Ryjakov no Teatr.doc. Rapidamente Kislorod se torna um dos espetáculos de maior audiência em Moscou. A peça participa de inúmeros festivais internacionais. Elogiada pela crítica, recebe vários prêmios. Ganha diversas montagens em várias cidades do interior da Rússia onde realizou muitas apresentações. Foi traduzida e montada muitas vezes em vários países europeus. A montagem da companhia brasileira de teatro marca a estréia deste autor no Brasil, até então inédito.